Cada vez mais pessoas estão descobrindo o Coaching no Brasil, o que tem provocado muita polêmica. Isso acontece, principalmente, por dois motivos: muita gente ainda não sabe o que é, e muita gente se intitula como “coach” sem ter a formação adequada.

Porém, a atividade foi criada para suprir uma demanda, atendendo a um nicho de mercado carente e inexplorado até então.

Coach, conforme a tradução do inglês, significa treinador e o termo foi usado originalmente apenas para esportes. Mas, se uma pessoa pode ensinar outra a correr, ou a nadar, escalar montanhas, por que não poderia ensinar a vender, liderar, falar em público, ou crescer no mundo dos negócios?

O que é e para que serve

O Coaching nada mais é do que uma metodologia que permite a um profissional – experiente e capacitado – ensinar e treinar seu cliente para alcançar seus objetivos em um tempo limitado, com um número também limitado de sessões.

Mas, como toda nova profissão, principalmente as que chegam com um nome estrangeiro, os coachs estão encontrando muita resistência e crítica por aqui.

Lembremos que o mesmo aconteceu com os designers, título difícil de traduzir, que também foi banalizado. Hoje existem designers de sobrancelha, por exemplo. Um profissional faz um curso rápido de dois dias e se torna designer, enquanto outro faz faculdade, pós-graduação, etc, e os dois usam o mesmo título.

A história se repetiu com o advento dos personal trainers. Logo que a atividade chegou ao Brasil, gerou muita estranheza. Mas, passou! E hoje existe personal stylist, personal shopper, e muitas outras variações.

A segmentação e a especialização são naturais e necessárias em todas as profissões. Por isso já existe coach de comunicação, de finanças, de carreira, de empreendedorismo e de dezenas de outras atividades. Ora, se há oferta e procura, este processo não vai parar.  

Mudança de Mindset

O termo mindset, muito utilizado pelos coachs, também tem provocado polêmica. Talvez se fosse utilizado em português, isso não acontecesse. Porém, a tradução seria “mentalidade”, o que não significa exatamente a mesma coisa.

Mindset é o conjunto de processos que definem a nossa forma de pensar e agir. Tudo que vivemos durante nossa jornada vai moldando nosso mindset e é isso que faz com que cada pessoa reaja de forma diferente em cada situação.

Podemos citar o exemplo do copo meio cheio ou meio vazio. Algumas pessoas possuem o padrão de observar tudo pelo pior ponto de vista. Observam apenas os defeitos dos demais, acham que estão cada vez mais doentes, pobres, etc. São as que veem o copo meio vazio. Já outras procuram ver o lado bom de tudo, veem o copo meio cheio, vibram em uma energia mais positiva e acabam por conquistar ou atrair coisas e pessoas boas para suas vidas.

A mudança de mindset, que pode ser orientada por um coach, permite que a pessoa reflita sobre sua forma de agir e consiga mudá-la. Ao observar o meio copo de água, por exemplo, mesmo que o primeiro pensamento seja de escassez, ela pode parar por um segundo e pensar em outras possibilidades de interpretação e escolher a que mais lhe convém.

Cada um no seu quadrado

É muito importante lembrar que o Coaching não veio para competir com a Psicologia e muito menos com a Psiquiatria. Ele não se propõe a tratar pessoas de traumas, nem de nenhum tipo de patologia. Da mesma forma, psicólogos ou psiquiatras não se propõem a treinar pessoas para conquistarem uma melhor performance profissional.

Como separar o joio do trigo

Em todos os setores existem profissionais bons e ruins. No Coaching não é diferente. Antes de contratar este serviço, é necessário analisar o currículo do profissional e verificar se as instituições onde obteve formação são confiáveis.

Experimente

Algumas pessoas que nunca passaram por um processo de Coaching são capazes de traçar seus próprios objetivos e de alcançá-los em um prazo determinado. Mas, a maioria de nós precisa de ajuda externa: orientação, motivação, técnicas para conseguir transformar os sonhos e os objetivos em realidade, evoluindo profissional ou pessoalmente.  É aí que entra o coach e é por isso que os coachs também precisam uns dos outros, pois a evolução é um processo infinito.

Lembre-se que para obter um resultado diferente você precisa mudar algum elemento da equação. Será que não é um coach que falta na sua vida?

Mônica Moraes Vialle

Mônica Moraes Vialle é sócia e diretora da MOOM Consultoria e Coaching, empresa binacional Brasil/Portugal. Master Coach, Consultora e Palestrante, obteve sua formação coaching junto às mais importantes instituições nos EUA: Ohio University, Florida Christian University e no Brasil: IBC – Instituto Brasileiro de Coaching, SBC – Sociedade Brasileira de Coaching e Instituto Holos. É Mentora e Consultora em quatro áreas distintas: Liderança, Coaching, Arquitetura, Urbanismo e Real Estate.

Mestre em Arquitetura pela Universidade de Lisboa em Portugal, Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC, Técnica em Edificações pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, cursou MBA em Gestão de Negócios de Incorporação e Construção Imobiliária, e especialização em Real Estate. Seu histórico profissional passa por mais de 19 anos em posições de liderança em empresas importantes no Brasil.

FACEBOOK
LinkedIn
Instagram