Não adianta fugir! Em algum momento da sua carreira, seja para defender uma ideia, um ponto de vista, ou para apresentar um projeto, você vai ter que falar em público. Então é importante que esteja preparado.
Algumas dicas muito simples que vou te passar por aqui são preciosas e se você conseguir colocá-las em prática vai tirar de letra. Acredito até que possa gostar e se tornar um grande palestrante. Vamos lá? Coragem.

1 – CONTEÚDO
80% do sucesso da sua performance está no domínio que você tem sobre o assunto. Isso mesmo, se você sabe do que está falando, não tem muito com o que se preocupar. Se não sabe, estude. Estude bastante.
Leve para a apresentação, palestra ou reunião, um resumo em tópicos sobre o que pretende falar. Não leve o texto todo, pois você corre o risco de ficar lendo e isso é muito chato para quem está ouvindo. Leve os tópicos em uma ordem lógica e desenvolva cada um deles.
Se você for usar Power Point, leve o resumo mesmo assim. É desagradável ter que ficar girando o corpo para olhar para a tela e para o público o tempo todo.
Ensaie bem antes para ter controle do tempo que pode gastar com cada tópico. Sinalize no seu rascunho quais são os tópicos mais importantes, caso você tenha que suprimir alguns.
Se você costuma se perder no assunto, marque com uma caneta cada tópico que for terminando.

2 – APRESENTAÇÃO PESSOAL
Parece bobagem preocupar-se com a aparência nos dias de hoje quando as diferenças são tão valorizadas. Mas vou te contar um fato engraçado. Assisti, certa vez, um discurso de uma moça que usava um brinco enorme, todo colorido. Cada vez que virava a cabeça, aqueles “remos” iam pra lá e pra cá. Eu não costumo julgar, mas a cena era engraçada, embora o assunto fosse sério. Moral da história: eu não lembro o nome dela e nem exatamente o que ela falou, lembro apenas dos brincos.
Então, se você quer que prestem atenção no assunto sobre o qual você está falando, e que seu público lembre do assunto e de você, procure compor um visual neutro, que não chame muita atenção para um ponto específico da sua roupa, sapato ou acessórios.
Outro ponto muito importante do seu look é o conforto. Para que você possa estar concentrado no seu tema e à vontade dentro da sua roupa, evite salto muito alto, colarinho muito apertado, ou aquele espartilho que te deixa com a cintura da Jessica Rabbit. Poder respirar é importante.
Ninguém está falando para ir dar palestra de bermuda e chinelo. A menos que você esteja no Nordeste dando palestra ao ar livre na beira da praia. Aí pode.
Também é bom cuidar com o cabelo. Ficar jogando o cabelo de um lado para ao outro pode ser sensual….. Ops! Não queremos ser sensuais, não nessa hora “business”. Então, prender aquela franja que cai no olho pode ser uma boa ideia para eliminar mais um fator que poderia te atrapalhar. Enfim, bom censo é sempre a melhor receita.

3 – POSTURA
Existem várias fontes que falam sobre a linguagem do corpo. A forma de arcar ou não a coluna, empinar ou não o nariz, gesticular, dizem muito sobre você e podem mudar completamente o sentido do que você está falando.
Quem está seguro de si, domina o conteúdo e se preparou para falar, tende a estar com uma postura natural, sem forçar a coluna nem pra frente nem pra trás. Convém manter os ombros abertos e relaxados, gesticular na medida certa, de forma coordenada com a fala.

4 – VOZ
“O dom de falar no tom”, ensina a terapeuta Maria das Graças Vilas Boas. Cada pessoa tem o seu tom, o tom no qual se sente confortável e que se cansa menos. Para encontrar o seu, cante um pouco, pode ser sozinho no chuveiro. Ou teste uns mantras: “aummmm” , hummmmm, descubra seu tom e leve pra vida e pra palestra.
O tom em que você diz uma frase tem o poder de mudar completamente o seu significado.
Não fale gritando. Se o ambiente for muito grande, peça um microfone. Ter que falar alto vai prejudicar sua performance.
Aprenda a dar ênfase nas partes mais importantes do seu conteúdo para que a fala não fique monótona. Não se trata de falar mais alto, mas de mudar um pouco o tom e de olhar para o público, ou para alguém do público nestes momentos.

5 – O OLHAR E A EXPRESSÃO FACIAL
Como eu já disse antes, não fique olhando o tempo todo para o seu resumo, ou para os seus slides. Olhe para o público, converse com ele. Sinta se as pessoas estão interessadas no que você está falando. Não economize suas expressões faciais. Vale franzir a testa se você está contando sobre algo absurdo que aconteceu, vale sorrir se você está contando o benefício para o mundo da sua ideia. Tente interagir.

CONCLUSÃO
Em termos práticos, é isso! Caso essas dicas não sejam suficientes pra você, procure um coach. Todos nós temos a habilidade da comunicação. Soltar as travas que o seguram vai permitir que mais e mais pessoas tenham acesso aos seus conhecimentos. Não seria a hora certa de compartilhar com o mundo o que você sabe?

FACEBOOK
LinkedIn
Instagram